Ir diréctamente al contenido

Já é um membro? Entre com seu login e senha

Os efeitos de falar palavrões no trabalho

Data de publicação 04/06/2012

Falar palavrões no ambiente de trabalho pode ser bom e ruim ao mesmo tempo, veja abaixo os depoimentos de pessoas importantes que apoiam essa ideia.

Carol Bartz, demitida como diretora-presidente da Yahoo Inc. em setembro passado, gostaria ter feito uma coisa de modo diferente durante seu conturbado mandato.

"Eu provavelmente não teria dito aquela palavra que começa com F,'' disse Bartz em uma conferência sobre Mulheres na Economia, organizada recentemente pelo The Wall Street Journal. Seus colegas no conselho da Yahoo a aconselharam a não dizer palavrões, segundo pessoas a par do assunto.

No entanto, Bartz, que tem 63 anos, usava palavrões para energizar os funcionários para derrotar os concorrentes, durante seu bem-sucedido mandato de 14 anos na liderança da Autodesk Inc. Os funcionários lá "me amavam'', disse ela recentemente. Os palavrões "mostram entusiasmo e dedicação".

De modo geral, falar palavrões no trabalho pode ser fatal para uma carreira. Os executivos que usam palavras de baixo calão parecem não-profissionais e fora de controle, dizem treinadores e recrutadores de executivos.

Mas esse nem sempre é o caso. Usado no momento certo e na situação certa, um palavrão bem escolhido pode motivar uma equipe, dissolver tensões ou conquistar o público.

"As empresas cada vez mais preferem líderes autênticos'', diz Jeffrey Cohn, especialista em planejamento sucessório de executivos. "Usar uma linguagem viva pode ser algo ao seu favor — contanto que você também demonstre empatia e bom discernimento para negócios.''

Considere o exemplo de Dubin, fundador de uma firma novata de comércio eletrônico, a Dollar Shave Club. Ele aparece em um vídeo on-line dizendo, com orgulho, que as lâminas de barbear da sua firma "são F ---!". Mesmo assim, ele substituiu a palavra por um "bip".

O vídeo comunicou "a mesma intensidade, sem ter que reproduzir (a palavra F–)', ' explica Dubin, cuja empresa tem cinco funcionários de tempo integral. "As pessoas sabem que a palavra está lá." Essas palavras podem exercer o efeito desejado, "mas você tem que conhecer o seu ambiente'', acrescenta.

É por isso que Dubin nunca diz palavrões em seus discursos para promover a empresa a investidores de risco, que até agora já deram US$ 1 milhão à Dollar Shave em financiamento inicial.

Soltar palavrões durante uma entrevista de emprego é quase sempre uma má ideia — mas nem todo mundo percebe isso.

Um diretor financeiro do setor de hotelaria perdeu a chance de conseguir o mesmo cargo em uma empresa rival, de alto nível, em parte porque descreveu seu chefe com palavras muito pesadas "10 minutos depois de me conhecer", lembra Jane Howze, diretora administrativa do Alexander Group, empresa de recrutamento de executivos de Houston, no Texas. "Eu pensei, 'Esse cara não tem a menor inteligência emocional.'''

Ainda assim, Howze diz que já recomendou candidatos a altos cargos que usaram palavrões, ocasionalmente, para descrever suas realizações profissionais com mais ênfase.

Para Brent Sherwin, diretor de uma filial da Schwan Food Co., essa linguagem fazia parte da sua personalidade no trabalho. Os motoristas de caminhão da empresa "ainda adoram me ouvir falar palavrões'', observa ele.

Mas seu patrão o repreendeu por dizer palavrões em apresentações maiores, onde há executivos no público.

Ajudado por um treinador de executivos, Sherwin diz que percebeu que dizer palavrões no trabalho é como colocar pimenta ardida em uma refeição: "Usado com moderação, é muito eficaz''.

Quando se dirigia a uma reunião nacional de vendas da Schwan em dezembro passado, Sherwin disse um palavrão apenas uma vez. Ele esperou até o fim para mobilizar os funcionários para derrotar a concorrência, incentivando-os a "dar um chute na bunda deles, p-!'', lembra ele. E funcionou: "Até os executivos de alto escalão se levantaram e aplaudiram".

Usar palavrões com critério às vezes ajuda uma sócia de uma firma de advocacia especializada em litígios da costa oeste americana, a deixar à vontade seus clientes homens.

Esses clientes começam a falar com franqueza mais cedo "quando sentem que sou um cara como eles'', diz a advogada veterana, que não quis dar o nome para não ser vista como não-profissional. Os homens veem que "se você não se abala com a linguagem chula, não vai se abalar com alguma coisa que o advogado adversário vai atirar em cima de você'', continua ela.

As mulheres executivas que usam palavrões correm mais riscos de carreira do que os homens.

"Considera-se inadequado que uma mulher diga palavrões", diz Dee Soder, sócia-gerente da CEO Perspective Group, firma de consultoria de executivos. "Para as mulheres há um padrão mais elevado.''

Fonte: Wall Street Journal

Acesso Candidatos

Lembrar senha |  Cadastrar CV

Se você não tiver uma conta Trabajando.com se inscrever e concluir o seu CV

Publicar vagas

Trabalhando na Mídia

11ª Semana de Recrutamento

A 11ª Semana de Recrutamento PUCSP é aberta a toda comunidade acadêmica e vai contar com a participação de 40 instituições de diversos segmentos, durante o evento vão ocorrer Palestras e Workshops, co

Ler artigo completo

Brasil tem três universidades entre top 10 da América Latina

A PUC-SP foi classificada como a 10ª melhor universidade brasileira entre as instituições latino-americanas.

Ler artigo completo

As 12 mentiras comuns contadas nos currículos- Jornal Extra

Diretor-geral da Trabalhando.com e autor do best-seller A Estratégia do Olho de Tigre comenta sobre as mentiras mais comuns contadas nos currículos.

Ler artigo completo

Ver todas as notícias

Artigos de Interesse

Scamper: técnica de geração de ideias

Conheça a Scamper, uma ferramenta que contribui na geração de ideias e no brainstorm.

Ler artigo completo

Os chatos se saem melhor em quase todas as profissões

Ser chato tem lá suas vantagens. Confira na matéria abaixo!

Ler artigo completo

Crianças manhosas e hiperativas: saiba que tipo de profissional elas poderão ser

O comportamento de uma criança pode dizer muito sobre seu futuro profissional. Confira!

Ler artigo completo

Ver todas as notícias

© Copyright 2006 - 2017. Powered by Empregos Trabalhando.com Brasil - Universia. Todos os direitos reservados

Termos e Condições | Políticas de Privacidade

Ir ao topo da página